Biehl Arquitetura no Facebook Biehl Arquitetura no LinkedIn Entre em contato por E-mail

Novas estimativas da ONU para a população mundial em 2100

Novas estimativas da ONU para a população mundial em 2100

 

Recentemente, as Nações Unidas emitiram um informe no qual contam os países que terão crescimento demográfico considerável durante o século XXI. As estimativas distinguem países desenvolvidos e os em desenvolvimento. Segundo dados da ONU, 60% da população mundial habitará os centros urbanos em 2030, enquanto em 2050 serão 70%.

Contudo, estes dados correspondem às estimativas de 2011, diferentes das mais recentes.

Em 2011 a ONU calculou que em 2100 haveria 10 bilhões de pessoas. Em seu último informe “Perspectivas da População Mundial”, divulgou uma aumento de 8% na cifra, ou seja, de 800 milhões de pessoas, alcançando algo próximo a 11 bilhões de habitantes.

Atualmente a organização estima que existem 7,2 bilhões de pessoas e que este número será de 8,2 bilhões em 2025 e de 9,6 bilhões em 2050, 300 milhões a mais que o estimado em 2010.

Outra consideração é a respeito do envelhecimento da população, com perspectivas de aumento das expectativas de vida. Dessa forma, entre 2045 e 2050 as pessoas viveriam em média 76 anos. No final do século, entre 2095 e 2100, a população de países em desenvolvimento chegaria em média aos 81 anos, enquanto nos desenvolvidos alcançariam 89 anos.

De acordo com a Divisão de População do Departamento de Assuntos Econômicos da ONU, este incremento se explicaria em parte pelo grande aumento da taxa de natalidade na África, contrariamente aos prognósticos anteriores. Desta forma, se atualmente vivem um bilhão de pessoas no continente, espera-se que em 2100 sejam 4,2 bilhões habitantes. Nos países onde ocorrerá este crescimento – Etiópia, Nigéria, Níger e Uganda – prevê-se que cada mulher tenha por volta de cinco filhos.

Na Europa sucederá o fenômeno inverso. O estudo diz que a população europeia diminuirá 14%, o que seria mais sensível na Bulgária, Croácia, Letônia, Lituânia, Romênia e Sérvia. Entretanto, essa situação não se restringirá à Europa. Brasil, Indonésia, Irã e África do Sul também se incluiriam neste panorama, devido à baixa média de filhos por mulher.

O país com maior população hoje é a China, mas segundo os dados do informe, a Índia alcançará a nação em 2028, ano em que ambos países teriam, em média, 1, 45 bilhões de habitantes. Posteriormente, seguiria crescendo, mas as políticas de natalidade chinesas fariam diminuir lentamente estes valores.

Fonte: ASBEA